Feed Rodolfo Escritor

sábado, 30 de junho de 2012

A Menina Guerreira


Taís. Essa é a garota!

Estudante de nutrição, dezoito anos, belíssima com seus cabelos longos e seu olhar penetrante, sem time de preferência, fã incondicional do Metallica e guerreira. Literalmente guerreira.

De segunda a sexta ela pega no batente as 8h, mas, para isso, acorda as 5h30 e toma dois estressantes metrôs super-lotados. Eu nunca vi uma garota com tanta força, com tanto gás como ela. Sei lá, parece que ela é incansável!

Seu horário de estágio vai das 8h as 13h; ela gosta desse horário e também da empresa. Pretende seguir carreira por lá. De segunda, quarta e sexta, sai correndo para entrar as 14h em outro estágio obrigatório. Droga de faculdade! Pra quê tanto estágio obrigatório?

Sim, ela é uma guerreira, mas é que as vezes tudo se torna tão estressante que se tem vontade de socar algumas pessoas até elas sangrarem. Justamente quando está assim, ela vai até a academia do irmão, coloca as luvas e vai treinar boxe para descarregar um pouco a adrenalina. O irmão já sabe que quando ela soca sem parar, com o olhar realmente furioso, é que está muito nervosa. Em dias tranquilos, ela luta sorrindo e brincando. Certas vezes, quando a raiva está acima do normal, ela entra, dá “oi”, coloca as luvas, atravessa toda a extensão da academia com o olhar baixo e desconta toda a sua raiva no saco de areia. Várias vezes ela chegou a derruba-lo.


Esses treinos servem para acalmá-la, pois sua sala na faculdade é, digamos, estressantemente estressante. Em uma sala formada por 90% das famosas piriguetes, ela muitas vezes é incluída nesse grupo. E isso ela não suporta. Mas é lógico que ninguém é de ferro, muito menos a Taís, que discute algumas vezes por semestre com suas coleguinhas safadinhas. A última discussão foi há dois meses, quando ela levantou sua colega alguns centímetros do chão e quase arrebentou a cara dela após sofrer provocações de mau gosto. Seguraram sua mão na hora do nocaute.

Aos fins de semana, a nossa garota gosta de ler, escrever, desenhar e, é claro, ouvir muita música – rock, de preferência. Às vezes um passeio no shopping com as amigas ou uma festinha. Pizza com o mano, guerrinha de travesseiros, passear com a Dara, sua cadela de estimação... Ficar com a família, arrumar sua bagunça e inspirar seus amigos a escrever sobre ela.

Essa é a nossa Taís, a menina guerreira!


segunda-feira, 25 de junho de 2012

Apaixonados e Suas Músicas VIII


Amor, eu sinto a sua falta”
(Nando Reis – Por Onde Andei)

Ninguém pode ler pensamentos, mas se pudesse, veria qual meu estado de espírito nesse exato momento. Eu que sou um iceman por fora, estou com meu coração na mão por causa do erro que cometi. Erro que não poderia ser cometido de maneira nenhuma, principalmente por um cinquentão experiente como eu.

Eu traí. Confesso: eu traí. E estou arrependido do que fiz. O que vai dizer minha esposa que é fiel a mim desde que estamos juntos? Eu traí a confiança dela e acho que não tem mais volta. Estou voltando do motel a essas horas – são 23h18. O que ela vai me perguntar quando eu chegar em casa? Só desejo, pelo menos, que nossos filhos estejam dormindo.

Espero que ainda dê tempo de dizer que andei errado”

Essa música tocando no rádio, o vento batendo no rosto, as lágrimas descendo. Algo me diz que ela não vai me querer mais em casa e a falta dela já é sentida por mim, antes mesmo da separação. Como diz a letra, só espero que ainda dê tempo... A ansiedade toma conta de mim e meu coração está tão acelerado que parece que vou ter um pire-paque.

Cenas se confundem na minha mente: um filme de tudo que passei com a família durante todos esses anos; agora penso no que aconteceu há alguns minutos... O quarto do motel, a banheira com aquela garota sedutora, nua, me chamando para a perdição. Que droga! Como eu não resisti?

O que eu te dei foi muito pouco, quase nada...”

Só agora vejo o quanto fui um mau marido para ela. Eu não a valorizei durante todos esse anos; pouquíssimas vezes saí com ela para jantar depois de casados; não dei carinho a ela... Para falar a verdade, é ela que tem todos os motivos para trair, não eu.

O último semáforo antes de chegar em casa está fechado. São trinta segundos. Ele abriu. Viro à direita e logo aciono o controle do portão para que ele abra. Entro lentamente com meu Audi na garagem...

Se alguém soubesse ler mentes, acho que nem conseguiria ler a minha... O nervosismo toma conta de mim e, logo após eu fechar a porta do carro, ela aparece na minha frente.

--- Oi amor...

domingo, 17 de junho de 2012

Apaixonados e Suas Músicas VII


Tenha um pouco de fé”
(Jessie J – Casualty Of Love)

Oh meu amor, só eu sei como você está. Toda a frustração que você está passando agora pertence a mim. Quando nos casamos, eu disse "sim" para saúde e doença; alegrias e tristezas e pode ter certeza que eu vou sempre estar do seu lado.

Todos passam por um momento ruim na vida - ou mesmo vários -, mas você é forte; sei que vai conseguir. Quando nos casamos, há três meses tudo estava as mil maravilhas na sua vida: um bom emprego, família estruturada, saúde estável. Mas tudo desmoronou de repente e hoje assim está você: sem emprego após a empresa em que você trabalhava falir, uma anemia que está te fazendo mudar muito seus hábitos e sofrer com isso. E o pior: ter que lidar com o falecimento do seu pai por conta de um ataque cardíaco. É, as coisas não estão nem perto de ficar tudo bem.

"Basta fechar os olhos, pegar minha mão".

Mais uma vez repito: I'm here!. Sim, eu estou aqui para o que der e vier e pode ter certeza que cumprirei minha papel de esposa. Eu te amo, e esse amor é o que vai nos dar forças para vencermos essa guerra, aliás, essa batalha; pois tenho certeza de que virão outras depois e que nós as venceremos juntos.

"Podemos não ter as respostas..."

Sim, isso é verdade. Nada está garantido; o futuro é uma caixinha de surpresas, mas, como já falei, estaremos juntos sempre. O velho ditado já dizia: "a união faz a força..."





sábado, 9 de junho de 2012

Apaixonados e Suas Músicas VI




“Você só precisa de amor”
(Jason Mraz – Up)

E aqui estou para dar todo o amor que você precisa! Sem você não tem mais graça viver, não tem sentido acordar com um sorriso no rosto, ou então sair desejando bom dia para todo mundo. Ouça a música, sinta a mensagem que ela lhe passa... Você só precisa de amor e eu estou aqui. Oh meu doce amor, renda-se aos meus sentimentos e vamos juntos passar por tudo o que o destino nos reserva.

"Você pode simplesmente amar qualquer coisa no seu destino".

E que tal me amar? Veja tudo ao seu redor; depois faça o balanço. Eu sou o seu destino, você é o meu destino. Nascemos um para o outro e, mais cedou ou mais tarde, nós iremos ficar juntos, nem que seja no último dia de nossas vidas. Eu te amo e nada vai mudar isso.

Eu só preciso de uma chance para mostrar que nós nascemos para ficar juntos. Uma chance. Aquele dia da roda gigante eu nunca vou esquecer... Relembrando a cena chega até a ser engraçado: nós dois prestes a nos beijar quando você inventa de dar peti e ficar com medo da altura. Poxa, aquela situação foi lamentável. O que me deixa mais triste é que você vem me evitando desde aquele dia e o que eu espero escrevendo tudo isso é que você abra os olhos e veja que quem te ama está muito mais perto do que você imagina. Ao seu lado...

E não pense que irei desistir de conquistar seu coraçãozinho, viu? Afinal...

"Amor é tudo de que você precisa".



domingo, 3 de junho de 2012

Apaixonados e Suas Músicas V




“Acordei com o som de uma chuva torrencial que levou embora um sonho sobre você”.
(Skid Row – I Remember You)

Porque eu fui acordar daquele sonho? Estava tão bom... A gente estava se entendendo, tudo girava ao nossos favor. A gente ia ficar junto para sempre, mas não... Eu acordei com aquela chuva.
Normalmente, nós esquecemos os sonhos, mas esse... Ah, esse eu não esqueci nenhum detalhe! Você sempre marcou presença na minha vida e lembrar de você depois de tanto tempo em um sonho tão lindo, para mim, foi muito gratificante. Mas tudo acabou. Eu acordei...
"O vento sussurrava e eu pensei em você".
Assim começou o sonho: eu estava na praia em um dia sem sol, mas com um vento perfeito. De repente você me veio à mente. Eu sorri. Abri os olhos e, como num passe de mágica, ali estava você, bem na minha frente com cabelos soltos, óculos escuros e sorrindo para mim. Ficamos nos olhando por um momento, até que você me estendeu a mão e eu levantei. Isso pode soar irônico, mas eu, no sonho, não estava sonhando e uma sensação gostosa me tomou quando eu peguei na sua mão macia. Não sabia dizer o que era...
Nos colocamos a andar por aquela praia já quase deserta... De mãos dadas, a gente tinha uma conexão muito bacana. Mas algo estava estranho: a gente não falava. Apenas sorrisos, abraços e gestos.
"Eu queria ouvir você dizer: eu lembro de você".
Mas você não falava nada... E eu também não conseguia falar. Você não deve saber, mas eu lembro de você todos os dias depois que tudo acabou; não posso esconder que ainda te amo. Para mim, bastaria se eu soubesse que você ainda sente o mesmo.
Em determinado momento você parou, virou de lado e eu também, de forma que ficamos frente a frente. Nós íamos nos beijar. Foi quando ouvi um barulho de chuva ao longe; ele foi aumentando, aumentando e quando estávamos quase juntando nossos lábios... eu acordei.
A chuva caía lá fora...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget