Feed Rodolfo Escritor

terça-feira, 28 de junho de 2011

A Culpa é do Sorvete

Os amigos se encontram na lanchonete. É sexta-feira, depois do expediente. Depois de pedirem aquele refrigerante(oh! eles não bebem...), começaram a conversar.
—Iaí cara, como é que você “tá”?
—Tudo bem e você?
—Cara, vou te confessar: num “tá” legal não.
—Por quê? O quê que aconteceu?
Ele deu uma risada inesperada e o questionador riu junto. Depois ele perguntou:
—Parece que não foi tão ruim assim. Você “tá” até rindo.
—É rir para não chorar. Mas isso é maldade, sabe porquê?
—Ham, fala aí!
—É porque a historia não se passou comigo, mas com meu cunhado...
Ia falando quando parou para rir. Ele não se agüentava( que maldade!)
—Pára de rir,"pô"! Conta logo!
Após alguns segundos, conseguiu o feito de parar de rir e começou a contar a historia.
—Já vou adiantando: minha irmã é muito barraqueira, daquelas “arretada” mesmo. E ontem, meu cunhado estava desejando um sorvete desde antes do almoço. E nesse desejo, saiu para comprar seu tão sonhado sorvete...
Deu uma parada,riu,se recompôs e voltou à historia:
—Até aí tudo bem, só que minha maninha ficou nervosa, porque ele pediu permissão para ela, que não havia deixado. A mulher virou o bicho e não queria papo. Ligou para ele esculaxando-o, dizendo para ele engolir o sorvete, dormir com o sorvete, morar com o sorvete...Sabe como é mulher quando está de TPM, não é? E ainda mais minha irmã.
—É, sei sim.
—Pois é. Nesse dia meu cunhado chegou em casa e minha irmã não quis papo com ele. E o pior: ainda pôs ele para dormir no sofá.
—Nossa!
—É fiquei sem reação quando ele me contou a história.
—Caraca! Que mulherzinha brava! Eu que não queria casar com uma dessas aí...(risos)
—É ...a culpa é do sorvete!
Dispararam a rir e continuaram a beber seu refrigerante e rindo de outras historias engraçadas.

sábado, 25 de junho de 2011

RAP

Realidade

Através de

Palavras

Porque a Religião é Criticada?

***Caros leitores, esse é um texto retirado da minha página de escritor no Recanto das Letras***

Acredito que, como eu, muitos escritores acharam o Recanto das Letras fuçando na internet, pelo google e tudo mais...

Claro que, antes de começar, pesquisei um pouquinho de como era o RL. Achei blogs de antigos participantes daqui, que hoje não estão mais por um simples motivo: A RELIGIÃO. A temida RELIGIÃO, a odiada RELIGIÃO, enfim..A RELIGIÃO.

A grande maioria desses blogueiros, colocaram em seus posts que saíram do RL porque estavam abrindo muito espaço para a RELIGIÃO.
Agora, fica a pergunta: porque tanto odio da RELIGIÃO? Porque? Acredito que isso é uma questão pessoal e devemos respeitar. Tanto que sou evangélico e nunca fiz um texto criticando as outras religões, ou mesmo defendendo a minha...e nem vou fazê-lo, porque "não faz o meu tipo". A RELIGIÃO é problema (para mim é solução!) de cada um.

Na minha opinião, respondendo à pergunta do título, a RELIGIÃO é criticada por aqueles que nunca viram ou viveram um milagre em sua vida, nunca foram livrados de uma grande doença, nunca conquistaram algo que, aos olhos humanos, era impossível...

Essa é a minha opinião, agora é com vocês.

domingo, 19 de junho de 2011

Idiota


Porquê idiota? Porque eu já começo o texto com algo tão forte? São tantas perguntas: Porque? Porque? Porque?

Aff! Foi mal, mas é que eu estou frustrado. Frustrado com minhas atitudes idiotas que apenas afastam as pessoas que eu gosto. Aliás, eu nem sei porque e pra quê eu estou escrevendo esse texto, mas já que eu comecei... vou terminar achando que algum dia você lerá isso.

Eu estou realmente farto disso! Sabe, tem horas que você não quer mais isso ou aquilo, mas não consegue parar? Então, eu sou assim por você.

Meus planos são de não falar mais com você, e de não olhar na sua cara, mas aí você vem com aquele sorriso lindo, irresistível e meus planos vão por água abaixo. Mas aí é que está o problema: com minhas atitudes infantis, só te afasto cada vez mais de mim. E quando eu descubro (não é difícil adivinhar pelo seu olhar) que você não gostou do que eu fiz ou falei... eu fico mal, muito mal e para onde vai essa tristeza? Lugar nenhum! Eu a guardo dentro de mim, e depois isso vai doer. Doer demais.

Pensando por aqui entre uma fala e outra, conto nos dedos quantas vezes já vi você nervosa com o que eu fiz e eles não dão conta. Como que eu mudo? Não sei. Eu sempre falo: vou me policiar para não fazer mais isso, mas nunca dá certo e acabo fazendo.

Ah quer saber? Chega! Antes de terminar, só gostaria de te falar que minha esperança é que você me ame algum dia, ou pelo menos chegue perto do que era antes. Para mim, já vai bastar.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

A Vida Muda...


Muito bacana essa imagem! Achei-a fazendo o post "Porque?" e pensei: tenho que colocar isso aqui...
Verdade, gostei muito dessa foto, pois ela nos traz a verdade.
Analisemos:

"Quando pensei que sabia as respostas, veio a vida e mudou as as perguntas"

Quantas vezes você sabia o que fazer, quando sua vida deu uma reviravolta total e te deixou sem respostas? Com certeza, várias.

Essa postagem fica para pensarmos na vida e nas surpresas que ela nos reserva.

Porque?

Porque é só pensar em você que eu fico triste?
Porque você me deixa assim?
Porque você não me dá atenção?
Porque você não valoriza mais o que tem nas mãos, ao invés de jogar fora?
Porque eu gosto tanto de você?
Porque eu penso tanto em você?
Porque eu sofro tanto por você?

Porque?

Essa resposta só você pode me dar!

sábado, 11 de junho de 2011

O Lobo Solitário

Eu sou o lobo solitário. Aquele que anda a passos firmes, sem fazer barulho, para dar o bote.

Aquele que gosta de “ouvir” o silêncio ao seu redor, e que da noite faz seu ponto de encontro com a alegria.

Ninguém chega perto (talvez por medo, não sei!), eu também é que não vou correr atrás.

Muitos (quase todos!) me acham estranho e eu me pergunto: porque será? A resposta é um mistério e algo me diz que para descobri-la, será preciso mergulhar bem fundo, no mais escuro de minh’alma.

Se quiser me achar, saia por aí numa noite bem macabra de lua. Eu estarei lá, a sua espera...

Eu sou o lobo solitário.

Eu sou o lobo solitário.

Ela Dança, Eu Danço 3


Como o nome já dá uma idéia, o filme é pura dança. Com artistas como Flo-Rida, David Guetta, T-Pain e Jessie J compondo a trilha sonora e muito hip hop, o filme conta a história de um grupo de dança liderado por Luke (Rike Malambri)

Esse é chamado de Piratas e composto por pessoas que tem a dança no sangue e, acima de tudo, um sonho de se destacar fazendo o que mais gosta. O grupo é uma continuação do trabalho dos pais de Luke, que eram dançarinos e queriam fazer diferente.

Durante uma de suas visitas a Universidade de Nova York, ele se depara cm um duelo de dança entre um integrante dos Samurais (grupo rival) e o Moose (Adam Sevani). Porém, o garoto não queria entrar no duelo: isso só aconteceu porque ele viu um tênis edição especial da Nike no pé de um cara e quando achou, se viu no meio da roda. Dançar devia ser mesmo seu destino, pois ele gostava muito, mas tinha ido fazer Engenharia na Universidade.

Moose não entra sozinho na Universidade, mas com uma amiga de infância, a Camille (Alyson Stoner) que vai fazer outro curso. Ele entra para o grupo de Luke, que está para perder a casa por conta das dívidas e sua amizade com Camille vai esfriando, e ela só se decepcionando.

Natalie (Sharmi Vinson) é irmã do líder dos Samurais, se camufla nos piratas e se envolve com Luke com apenas um objetivo: roubar a coreografia e entregar para os Samurais. Ela o faz, mas depois vê que o profissional virou pessoal e se apaixona por Luke.

Essa coreografia e a que seria apresentada no Torneio Mundial de Dança, com prêmio de cem mil dólares; o que mudaria a vida dos Piratas e traria estabilidade para eles.

Quando a amizade de Moose com Camille parece ter um ponto final, ele dá a volta por cima e tem até o apoio dela, que também era dançarina, mas que havia desistido. Ela entra no grupo, junto com outros antigos colegas que dançavam também e vão contudo para a final do torneio.

Imagina o que acontece? Com uma apresentação simplesmente perfeita, sem erros; os Piratas vencem a competição, levam o prêmio, pagam as dívidas e recuperam sua casa que havia sido fechada por conta das dívidas.

Luke parte para a Califórnia com Natalie para desenvolver seu outro talento, o de cineasta. Mas o grupo continua unido e Moose, enfim, beija Camille. Coisa que ela planejava há tempos, pois a amizade deles havia subido para um outro patamar. E para finalizar, Moose ganha o tênis que o colocou em tudo isso: aquele edição especial da Nike, que ele tanto sonhava em ter.



quinta-feira, 9 de junho de 2011

E Quem Nunca Amou?

Que posso eu falar do amor?
Logo eu que nunca amei!
Sei lá, não me sinto digno
De falar nada sobre esse assunto.
Por favor, me ajude
A acabar com essa indignação!!!

sábado, 4 de junho de 2011

Piratas do Caribe 4 - Navegando Em Águas Misteriosas


Johnny Depp está de volta para mais uma aventura emocionante em Piratas do Caribe 4 “Navegando Em Águas Misteriosas”.

No quarto filme da série (há rumores de ela irá até o 6º filme), Depp está mais firme do que nunca e Capitão Jack Sparrow mais bêbado do que nunca (não sei se alguém notou, mas ele está bêbado nos quatro filmes!).

A história se passa com a busca de todos, menos Jack Sparrow, pela fonte da juventude. O principal interessado é o Barba Negra (Ian McShane), que já está bem idoso e quase morrendo. Parece que ele ganha na loteria e acha sua filha (pelo menos é o que se afirma): nada mais, nada menos que Angélica Malon (Penélope Cruz), a mulher que Sparrow enganou dizendo que a amava em outro filme da série. Eles se juntam para conseguir achar a fonte. Os outros participantes nessa corrida são a realeza britânica e a espanhola.

O filme vai se desenrolando e ele nos mostra que, para que a magia da fonte da juventude se realize, é preciso de dois cálices específicos (que serão achados, perdidos e roubados por Sparrow), a água da fonte e o mais difícil: uma lágrima de sereia. Mas essas são más, embora muito belas e encantadoras. Explicando melhor, as sereias se escondem na Bahia da Espuma (temida por todos os homens) e são atraídas pela luz. Elas seduzem o homem e o levam para debaixo d’água, onde se transformam em coisas feias com dentes de vampiro e olhos de gato (é estranho!). É por causa delas que as tripulações da realeza e do Barba Negra se minimizam.

Por falar em Barba Negra, na sua tripulação tem o missionário Philip Swift (Sam Caflin), que não tem o aval do “chefe”, mas é defendido, não se sabe porque, por Angélica História vai, história vem, Swift  que é o mais medroso do barco, consegue capturar uma sereia, que vai ser levada para arrancarem dela uma lágrima, o que não vai ser fácil.

Eles caminham bastante com a sereia (que é chamada de Syrena pelo religioso que começa a gostar dela) até que os carregadores tropeçam e quebram o vidro onde ela estava presa. Para a surpresa todos, e também desse que vos escreve, ela “vira” humana. Porém, não consegue andar; logo, Philip Swift se oferece para carregá-la.

Syrena é colocada dentro de uma piscina natural para soltar uma lágrima e mesmo vendo o rapaz tomando uma facada no peito, ela não chora. Então todos se escondem e  de repente, ele aprece para salva-la. Ela chora de alegria e os piratas aproveitam. Ainda rendem o rapaz e a deixam presa para morrer aos poucos.

Mais para frente, Sparrow encontra o lugar onde se encontra a fonte da juventude e descobre, na sorte como sempre, o modo de entrar. É tão mágico que a entrada é pelo teto. Quando eles chegam lá, que vão de encontro à fonte, chega a realeza britânica para fazer tumulto e o que acontece? Dá-lhe espada pra lá, espada pra cá. Nessa, o Barba Negra, que guerreia com seu maior inimigo, que também era inimigo do Capitão Jack Sparrow até o início da aventura, Capitão Hector Barbossa (Geoffrey Rush) é acertado e se desconcentra. Logo depois, Barbossa enfia a espada com toda sas suas forças nas costas do Barba Negra e vinda a perda do Pérola Negra (barco que era do Jack Sparrow) e a sua perna, que havia sido decepada. Detalhe: na espada havia veneno e Angélica, sem saber, chega perto e sem querer, corta a mão.

Nisso, os espanhóis já haviam chegado e estavam destruindo todo o lugar. Pegaram os cálices e jogaram na água e lá vai Jack Sparrow procurar o cálice. Surpresa quando Syrena (que havia sido solta pelo religioso que voltou para ajudá-la) entrega os dois cálices para ele. Ela vai embora e ele vai procurar o que resta da fonte.

Pega a lágrima e mistura com água em um cálice, e no outro, só água. Angélica e Barba Negra estão morrendo e apenas um pode viver. Depois de ouvir Sparrow falar qual era qual, Barba Negra é consumido vivo em chamas, enquanto Angélica fica novinha em folha.

Barbossa pega a espada mágica e o navio de Barba Negra e Sparrow leva Angélica para uma ilha deserta e deixa ela lá gritando e dizendo que o amava, que estava grávida dele...

O religioso cai na lábia da sereia que parecia bonzinho e é levado para o fundo do mar (fica o mistério: porque ela o levou lá para baixo, já que ela não virou aquela coisa com ente de vampiro e olhos de gato?). Confesso que me chamou grande atenção esse romance.

E o filme acaba com Sparrow e seu parceiro Gibbs (Kevin McNally) em outra ilha tentando pegar o Pérola Negra de volta e com muita bebida em um sacão levado nas costas por Gibbs.

Iaí, prontos para o próximos?


Bate-Papo Com Cristovão Tezza


A secretaria de cultura de São Bernardo do Campo tem vários projetos para a inserção da população no mundo cultural. Entre esses projetos, está o Mundo Livro, que traz todo último sábado do mês, um escritor, colunista ou um especialista em determinada área para um bate-papo descontraído.

O convidado desse mês foi Cristovão Tezza, que saiu de Curitiba para conversar com a gente. Ele é escritor (autor de livros como “Trapo” e “O Filho Eterno”, com o qual ele ganhou vários títulos expressivos da literatura) e cronista do jornal “A Gazeta do Povo”.

A conversa foi muito bacana, bem descontraída. Ele falou sobre sua trajetória de vida: começou lendo Monteiro Lobato e não queria fazer faculdade. Entre seus autores preferidos está Sir Arthur Conan Doyle (criador do maior detetive de todos os tempos: Sherlock Holmes), que por um acaso, também é meu autor favorito. Coincidência?(risos)

Enfim, aos 25 anos, resolveu fazer o curso de Letras (mais coincidência? Eu também faço...) e se tornou professor. Porém, no ano passado ele pediu demissão de seu cargo para se dedicar à escrita e às palestras.

Super humilde, Cristovão Tezza ganhou mais um seguidor e, com certeza, irei acompanhar mais seus textos e livros.

 Mais informações, acesse o site do escritor:

A Diferença Entre Os Que Querem E Os Que Não Querem

“Quem quer fazer alguma coisa, encontra um meio. Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa." (Provérvio árabe)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget