Feed Rodolfo Escritor

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Você Em Mim

Ver você é como ver o pôr-do-sol
Não tem explicação!
Da mesma forma que ele brilha,
Assim são seus olhos.
Olhos lindos, sorriso maravilhoso...
Igual a você não há.

E quando estou com raiva e não quero saber de mais nada
Você me aparece e todos os meus planos fogem.
Com isso já aprendi que você limita meus pensamentos
E agora não faço mais planos em relação a você.
Não adianta! Você sempre será perfeita para mim...

Sabe, te ver me faz bem.
Te ver me dá uma sensação de liberdade
É tudo de bom...

Com a cabeça no travesseiro penso em você:
Pensamento que é só meu...
Pensamento esse que não divido com ninguém.
Então... fui!

sábado, 27 de agosto de 2011

Capitão América - O Primeiro Vingador


Diretamente dos quadrinhos para a telona, “Capitão América” conta a história de Steve Rogers (Chris Evans). Apenas um garoto magrelo que tenta por cinco vezes se alistar no exército, sendo negado em todas, pois além de não ter porte para aquilo, ele tem asma.

É aí que aparece o Dr. Abraham Erskine (Stanley Tucci) e dá a Rogers a oportunidade tão esperada de defender a pátria amada. Todos, e até ele mesmo se perguntam porque que o doutor o havia escolhido. Ele descobriria que seria o “cobaia” de um projeto experimental que criaria o super-soldado Rogers.

Já depois do experimento e bombadão, Rogers vira o Capitão América. Só que esse Capitão América é um personagem para incentivar os jovens a se alistarem para a guerra. Um certo dia, depois de uma de suas apresentações, ele vê o General Chester Phillips (Tommy Lee Jones) assinando atestados de óbito de soldados que morreram na guerra. Aí ele se lembra do seu melhor amigo Bucky Barnes (Sebastian Stan) e se revolta. Pega o seu escudo usado nas apresentações e vai atrás dele e dos outros soldados que estão presos em uma das bases da Hydra (organização liderada por aquele que será seu inimigo: o Caveira Vermelha, interpretado por Hugo Weaving).

Ele chega na base com a ajuda de Peggy Carter (Hayley Atwell), que sofre de uma “leve”, digamos, quedinha por ele. Se infiltra no lugar e acha os soldados. Perguntado sobre quem era ele, responde:

Eu sou... o Capitão América.

Mas faltava um: Bucky Barnes, que seria encontrado preso numa cama. O Caveira Vermelha viu que nada parava o Capitão e ativou bombas-relógio. E assim, quando os dois amigos estavam procurando a saída, o prédio começou a explodir. Felizmente, conseguiram sair bem e voltaram com os outros soldados para a base.

Daí em diante começaram a invadir as bases da Hydra uma por uma. Em uma invasão a um trem que levava materiais, Barnes conheceu seu fim sendo jogado do trem diretamente para um precipício. Com isso, Rogers fica muito triste e vai beber, com a vantagem de ser geneticamente modificado, seu metabolismo queimar quatro vezes mais rápido e, consequentemente, não ficar bêbado.

Na próxima invasão que ele faz, o Caveira Vermelha coloca um plano em ação e prende Rogers. Pede para que ele revele alguns segredos, mas não a obtém. Aplica vários socos na barriga e no rosto de Rogers. A resposta é a mesma usada no começo do filme quando Barnes o salva de uma surra numa rua:

Eu poderia fazer isso o dia todo!
Quando a caveira menos espera, os soldados americanos aparecem e equilibram a disputa. No meio da confusão, o Caveira tenta fugir no seu avião a jato. Rogers tenta acompanha-lo, mas vê que não vai ser rápido suficiente. Então surge o General Phillips e Peggy Carter em um carro a jato (que por sinal é muito louco!). Eles alcançam e Rogers entra no avião logo depois de ser beijado por Peggy. Para ele, isso foi uma surpresa! 

Durante uma demorada batalha com seu inimigo, o Caveira Vermelha é morto pelo poder místico que deu essa força aos dois.

A nave estava muito rápida e ele não conseguia parar. Sua única opção foi pousar na água, ou melhor, no gelo onde fica lá por um bom tempo...



Textos Profissionais

  Um certo dia, um grande escritor me disse para profissionalizar mês textos. Ou seja, parar de demonstrar meus sentimentos, pois isso certamente prejudicaria minha carreira. Agora eu pergunto: como posso fazer isso, se grande parte das minhas simples obras é inspirada em você? E como posso profissionalizar meus textos se acho aqui, no meu caderninho, uma forma de colocar para fora tudo que eu não tenho coragem de falar para você? Impossível!

É certo que todo escritor tem uma ou mais fontes de inspiração e você é uma das minhas. Mas você não sabe disso, aliás, jamais saberá, pois escritor é como mágico: nunca revela seus segredos. E, pelo jeito, todo escritor tem suas tristezas que são transcritas para o papel. O fato é que essas tristezas são, na maioria das vezes do coração.

Desculpa, mas a mentira não reina aqui e o fingimento passa longe. É por isso que meus textos não são tão profissionais; são reais. São inspirados em você, ou em músicas que me levam direto a você.

Você, você, você... Sai da minha cabeça, ou entra de uma vez por todas na minha vida! Eu não sou de ferro (ninguém é!) e, assim como todo mundo, eu tenho de vontade de amar e ser correspondido. Dizem que é uma sensação muito boa (a melhor...). Eu não sei, pois nunca vivenciei. E assim aguardo a minha hora.

Feche os olhos e abra sua mente: agora imagina como seriam esses textos de forma profissional. O próprio escritor afirma: “perderia a graça. Seria como a vida sem você!”

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Desabafo de um Revoltado


Porquê comigo? Porque você foi encantar logo a mim? E porque, agora, você me faz triste com toda essa situação? Só para avisar: dane-se as palavras bonitinhas e tal, tal, tal! A única coisa que quero é descobrir verdadeiramente meus sentimentos em relação a você. Ora, se grandes escritores usaram de palavras fúteis em muitos de seus textos, porque não posso usar também? Sem imagens, sem frescura!

Porra! Que raiva! Que merda que eu fiz quando eu resolvi me aproximar de você? A resposta é simples: me ferrei! Me ferrei porque o que eu sentia por você foi mudando e acabou fugindo do meu controle. Você, com esse sorriso lindo, seu jeitinho de falar, de conversar... Não consegui segurar e me apaixonei por você. Mas onde eu estava com a cabeça quando não caí fora logo no começo?

Cansei de fazer projetos e só levar foras. Cansei de bancar o bonzinho. Pensa e garanto que virá à sua mente quantas vezes você me negou convites? E os desmarcados de última hora? Poxa, quem me garante que estou sofrendo pela pessoa certa? E acredito que você não esteja fazendo por mim.

Mas tudo bem, já dizia a frase que “as pessoas gostam do que não têm” e isso é totalmente verdadeiro, pois tenho certeza de que, se eu me afastar, você sentirá minha falta. Quando/se isso acontecer, algum dia você verá o quanto é ruim e (pode acreditar!) estará realmente ferrada nas minhas mãos! Eu sou bonzinho, mas não sou trouxa.

domingo, 14 de agosto de 2011

Jota Quest - Além Do Horizonte (Video Clipe)



Esse mês deu Pop/Rock na votação. Então lá vai "Além do Horizonte" versão Jota Quest

Além do Horizonte
 
Além do horizonte existe um lugar
Bonito e tranquilo pra gente se amar

Além do horizonte deve ter
Algum lugar bonito pra viver em paz
Onde eu possa encontrar a natureza
Alegria e felicidade com certeza
Lá nesse lugar o amanhecer é lindo
Com flores festejando mais um dia que vem vindo
Onde a gente pode se deitar no campo
Se amar na relva escutando o canto dos pássaros

Aproveitar a tarde sem pensar na vida
Andar despreocupado sem saber a hora de voltar
Bronzear o corpo todo sem censura
Gozar a liberdade de uma vida sem frescura

Mas se você não vem comigo nada disso tem valor
De que vale o paraíso sem o amor
Se você não vem comigo tudo isso vai ficar
No horizonte esperando por nós dois

Além do horizonte existe um lugar
Bonito e tranquilo
Pra gente se amar

Mas se você não vem comigo nada disso tem valor
De que vale o paraíso sem amor
Se você não vem comigo tudo isso vai ficar
No horizonte esperando por nós dois

Além do horizonte existe um lugar
Bonito e tranquilo
Pra gente se amar


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

A Influência das Redes Sociais


Orkut, Twitter, Facebook, My Space, Ning, Haboo, Sonico, Linkedin, Foursquare, Via 6. Ufa! É rede social que não acaba mais. Todas essas e mais algumas fazem parte dessa geração das redes sociais.
Atualmente, a rede social do momento é o Facebook. Isso mundialmente, pois aqui no Brasil ele ainda perde para o Orkut (aliás, nós somos o país que mais acessa o Orkut no mundo inteiro). Quem vem crescendo cada vez mais e está no pódio das redes sociais mais usadas é o Twitter.
Estima-se que o Brasil tenha 70 milhões de internautas. E grande parte deles têm cadastro em uma, duas, três ou mais redes, que também são chamadas de "sites de relacionamento".
Voltando ao título do texto, as influências que esses sites nos trazem são imensas. Boas e ruins.
Pegando a parte boa, eles nos trazem oportunidades de conhecer pessoas novas, matar a saudade de parentes que moram longe e até se mostrar um ótimo profissional (o Linkedin é uma rede social totalmente profissional). É claro que algumas empresas estão à procura de talentos e muitas delas acham, ou descartam, através do perfil nessas redes sociais. Portanto, muito cuidado com o que você escreve no perfil ou no "status".
Porém, há também a parte ruim disso tudo: infelizmente, muitos mal-intencionados estão usando esses sites de relacionamentos para descobrir pequenos (ou grandes) detalhes da vida das pessoas para depois praticar o mal. Muitas vezes sequestros e roubos são originados de informações disponibilizadas pelos cadastrados nas redes. As vezes a pessoa nem imagina que irá acontecer isso, mas é uma realidade que devemos encarar. O primeiro passo é ter cuidado!
Um Pouco Mais

Facebook: A rede foi ao ar pela 1ª vez em 4 de fevereiro de 2004. Seus criadores? Quatro ex-estudantes da Universidades de Harvard (coincidência ou não, o número quatro marcou presença na criação do Facebook): Mark Zuckerberg, Dustin Moskovitz, Eduardo Saverin e Chris Hughes.

O Face (como é chamado por muitos) surgiu para o mundo em setembro de 2006 e hoje, segundo o Ad Planner Top 1000 Sites (ranking que registra os mil sites mais acessados do mundo), é o site mais buscado no Google. No Brasil ainda perde para o Orkut, mas especialistas dizem que isso não será por muito tempo.



Orkut: Com o nome de seu próprio dono (Orkut Buyukkokten), o Orkut foi criado em 2004 com o pioneiro projeto que visava que seus membros reencontrassem familiares, amigos e que também conhecessem gente nova.
Foi a 1ª rede social que "pegou" nesse mundo digital. Mesmo com esse status, muitos dizem que ela tem seus dias contados por conta do avanço dos seus concorrentes diretos (Facebook e Twitter). Curioso é que o projeto do Orkut era ter mais influência nos Estados Unidos, mas o maior número de acessos veio de Brasil e Índia. Sua sede, que era na Califórnia, mudou para o Brasil desde agosto de 2003.
Twitter: Conhecida por ser uma rede social mais profissional e compacta, o Twitter corre por fora e tenta alcançar os gigantes Facebook e Orkut. A criação de Jack Dorsey desde 2006 vem conquistando a cada dia mais adeptos.
O microblog permite que você poste atualizações com no máximo 140 caracteres. Essas atualizações são conhecidas como "tweets".
MySpace: Meio esquecida ultimamente e ocupando a 4ª posição no ranking das redes sociais mais acessadas, o MySpace foi uma criação da Intermix Mídia que chegou a ser a mais popular do mundo mas, assim como o Orkut, perdeu força nos últimos anos.
O MySpace é uma rede interativa. Ela atua por meio de fotos, blogs, perfis, fóruns, grupos etc. Sua maior utilização é para divulgação de trabalhos anda não conhecidos, como músicas e vídeos. Geralmente a maioria dos cadastros é feita por bandas.
A atual dona do MySpace é a Specific Media, que comprou a rede por 35 milhões de dólares. Detalhe: a rede social já não era da Intermix Mídia, mas da News Corporation qie havia comprado por (pasmem!) 580 milhões de dóalres. Vemos aí uma grande desvalorização de valores.



O Poder da Música

Acredito que não poderia colocar um título melhor nesse texto. “O Poder da Música” é perfeito! Explicando resumidamente o porquê desse título é, simplesmente, o poder que a música tem nas nossas vidas. Ela marca, agita, acalma... Vai depender do dia, hora lugar, estado de espírito, etc.

Não fiz pesquisa, mas acredito que cerca de 70% da população faz da música sua companheira de todas as horas. Sei lá, é meio inexplicável, sabe? Música é... tudo de bom!

Sabe aquele momento que você está triste, às vezes sozinho, ou “forever alone”? Com certeza a música vai te dar uma força. Alguns colocam músicas agitadas, outros ficam nas mais calmas para desacelerarem. E quando você está alegre, de bem com a vida? Não dá aquela vontade de colocar o som que você curte no último volume? As vezes não pode por causa do grande barulho que irá fazer, mas que dá vontade, dá sim!

Como disse no início, a música marca momentos da sua vida; sejam eles tristes ou alegres, bons ou ruins. Isso é fato: você está passando por um grande problema, por exemplo, e nessa fase de sua vida você se identifica com uma certa música e pronto! Não posso afirmar que seja por toda a vida, mas durante um bom tempo, quando escutar aquela música, se lembrará do problema. Assim também é com a alegria e com todas as fases.

A música também aproxima as pessoas, seja de uma forma, ou de outra. Não vou citar meus casos aqui, porque se o fizer, o texto ficará bem longo, mas há músicas que, quando tocam, me fazem lembrar de determinada pessoa (e acredito que com você também aconteça isso!). Motivo? Uma conversa, uma frase, um momento. Isso é simplesmente demais! Para generalizar e me explicar, as músicas marcam, marcaram e marcarão muitas pessoas e momentos na minha vida.

Assim como escrever, ouvir música é uma terapia, uma paixão. E, é claro que da união dos dois sairia alguma coisa. Não sei se ficou bom, mas saiu!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

O Paulão e a Empregada



Sabe esses caras literalmente safados nos quais uma mulher nunca pode confiar? Assim era Paulão. Pelo apelido já da para ter uma ideia não é? O cara tinha fama de pegador; fazia jus ao aumentativo no nome. Na rua em que ele morava já não havia mais nenhuma mulher com seus “mesmos ideais” que ele não havia “catado”. Sua fama já se espalhava por bairros vizinhos. Ele, realmente, não tinha vergonha na cara.

Mas, como em todo bairro que se preze, havia também aquelas senhorinhas aposentadas que ficam o tempo inteiro do seu dia (e, às vezes, da noite também) olhando o que os vizinhos fazem para depois irem fofocar na hora do chá. Paulão era um assunto, digamos, presente nos chazinhos delas (porque será?).

Um certo dia, ele resolveu “investir” pra cima da empregada. Ela era uma morena, corpo escultural, olhos verdes, enfim... Os homens ficavam de queixo caído ao vê-la passando na rua.

Embora tivesse todas essas características, ela já passava dos seus trinta anos, mas se cuidava: academia, caminhada e uma baladinha também! Só pra citar, Paulão tinha vinte e sete anos e era bombado. Por isso o aumentativo em seu nome.

Com certeza, ela já sabia da fama de seu patrão e jogava duro com ele. De vez em quando ele tentava, mas só levava “NÃO!”. Depois de várias tentativas, ele decidiu mudar seu modo de “jogar” com ela e partiu para o romantismo. Aumento de salário, levava ela em casa de vez em quando. Um cineminha, drinque no bar da esquina... Até que... que... alcançou seu objetivo! Para ele foi uma grande conquista, pois foi a mulher mais difícil que ele “investiu”.

Passados alguns dias, ele continuou a sair com ela e quem descobre? As vizinhas! Suas maravilhosas vizinhas que cuidam mais da vida dele que da própria vida. Elas comentaram para as outras amigas, que espalharam o fato. Em uma semana, o bairro inteiro estava sabendo. E isso chegou aos ouvidos de Paulão, que, consequentemente, achou hilário (não era essa a reação esperada, não é?) e armou um plano para descontar o que estavam fazendo com ele. Por ser mais experiente que ele, morena e outras características mais, Paulão começou a chamar a empregada pelo apelido de Tiazinha. Ela bem que gostou do apelido... Voltando à história; ele teve a ideia de soltar seu charme nas “velhinhas” que ficavam vigiando-o . Pediu a opinião da Tiazinha, que respondeu:

---Há! Sensacional, ótima ideia! Quero ver a cara delas.

O bairro inteiro já sabia do chá semanal da fofoca das senhoras. Não foi difícil para Paulão descobrir. E ele colocou seu plano em prática perfeitamente: apareceu lá sem camisa, inventando algumas desculpas e mandando todo seu charme pra cima delas. Do outro lado da rua, com um binóculos, a belíssima empregada observava e ria (ria muito!) com a expressão das “vítimas” do Paulão. A cena foi, realmente, muito engraçada e saiu como planejado.

Depois daquele dia, nunca mais aquelas senhorinhas de bom coração se meteram na vida dos outros e Paulão... Bem, Paulão continuou a pegação (olha, até rimou!).

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget