Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2011

Amizade de Busão

Imagem
Doce foi o dia em que te conheci naquele “busão” lotado; você parada ali na minha frente. Eu te olhando durante todo o trajeto e pensando comigo: Eu tenho que falar com ela, eu tenho que falar com ela. Que hilário de minha parte... E se você não falasse comigo? E se você virasse a cara? Tudo bem, não custava nada tentar. Tentei...e deu certo! Puxei um assunto muito nada a ver com você (se eu não me engano foi a demora do ônibus, ou o trânsito. Algo do tipo). Você falou comigo e continuou conversando. Que bacana! Ao nos despedirmos, peguei seu MSN (o que é de lei hoje em dia, não é?), adicionei você e fiquei a espera de nos encontrarmos On. Quatro meses depois, caminhamos juntos rumo a felicidade. A verdadeira felicidade que nos mostra como a vida é simples: risos, conversas, amizade... O dinheiro não consegue pagar a amizade e as alegrias que ela traz para nós. Nessa caminhada, vemos as nuvens que nos ameaçavam se dissiparem para nunca mais voltar. É a vez do sol: companheiro, parceiro de tod…

Paciência

Imagem
Mais alguns minutos ao seu lado; mais uma ótima conversa; mais uma troca de olhares. Muito bom! Aliás, tudo ao seu lado se faz bom, melhor, mais interessante... Garota, você tem o poder de fazer os outros se apaixonarem por você. Foi assim comigo, foi assim com outros... O que você faz? Você diz não saber, e a gente vê que é inconsciente, correto?
A culpa não é sua por eu ter me apaixonado por você, minha flor (como eu costumo te chamar). E a culpa também não é sua de ainda gostar de quem não quer mais saber de você. E nesse triângulo ninguém tem culpa...foi tudo o destino.
E agora? Agora, como sempre, sobra para o “tiozão” aqui se dar mal! O que para mim, já é normal. Juro que fiz tudo o que pude para te convencer de que eu era a pessoa certa para você, mas você fez o quê? Pediu um tempo...tempo esse que já corre há vários meses. Tempo, o senhor de razão, que parece estar de mal comigo.
A verdade é o seguinte: quando se tenta uma coisa por muito tempo e não se vê resultado, suas forças …

Dançando na Chuva (Parte 2)

Imagem
E eu, amante da chuva que sou Não posso ouvir o barulho de uma Que já saio correndo... Dançando na chuva
Numa dessas noites, lá estava eu Fazendo a minha performance Quando um rapaz para o carro e fica me olhando Dançando na chuva
O olhar dele era sincero, Ele tinha um sorriso misterioso... Mas foi para ele (e só para ele!) que eu fiquei Dançando na chuva
Aquela foi apenas a primeira de muitas noites Que ele iria me ver. Bastava chover, e ele sabia que eu estaria lá... Dançando na chuva
Depois de um tempo (várias chuvas, por sinal), Em uma noite senti meu coração bater mais forte. O que era aquilo? Não sei, mas eu continuava Dançando na chuva
Eu queria falar com ele, mas tinha vergonha... E bastou um sorriso para tudo mudar Quando vi por mim, estávamos nós dois Dançando na chuva
Ele dançava bem... e saía comigo em todas as noites de chuva. Não há sol que pague o quanto nos divertíamos. Eu e ele; nos molhando... Dançando na chuva

Dançando na Chuva

Imagem
Preciso confessar: minha vida mudou!
Sim, ela mudou depois que eu te vi pela primeira vez.
Aquela noite você estava linda, deslumbrante...
Dançando na chuva.

Não sei se você me viu (acredito que sim)
Mas o que importa é que eu te vi
Aquela noite...
Dançando na chuva.

Parei meu carro só para ficar te olhando
E não me arrependo de ter descido
Para ficar me molhando e ver você
Dançando na chuva.

Poxa, que sorriso, que olhar aquele seu...
Não sei, mas acho que me apaixonei.
Foi maluco, mas só aconteceu porque te vi
Dançando na chuva.

Sim! Dançando na chuva.
É assim que te vejo sempre.
Pego o meu carro e vou te contemplar...
Dançando na chuva.


*Poema classificado em oitavo lugar no VI Concurso de Poesia da UniABC

*Inspirações Have You Ever See On The Rain - CreedenceThe Adventures Of Rain Dance Maggie - Red Hot Chilli Peppers ♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫♫

Um Halloween Inesquecível

Imagem
Dia 30 de outubro e está quase tudo pronto para o Halloween na escola Neverville, norte do Texas, Estados Unidos. Os alunos estão ansiosos para a grande festa das “doçuras ou travessuras” que o diretor novo preparou. O novo diretor é o Sr. Richard Gibb, um cara muito, muito estranho com umas atitudes nada normais. Ninguém sabe o porque, mas na sala dele tem sempre duas velas de sete dias acesas (uma em cada ponta de sua mesa) e logo acima de sua cabeça, uma bandeira preta com a estrela de seis pontas.

A grande maioria das pessoas encaram o Halloween apenas como uma festinha, uma data comemorativa. Mas essa data tem uma história que poucos conhecem...
Reza a lenda que o Halloween vem de muito tempo atrás, com os celtas antigos que habitavam a Grã-Bretanha e a Irlanda. Na lua cheia mais próxima de 1º de novembro, eles celebravam a festa de Samhain, que significava “fim do verão”. Eles acreditavam que durante essa celebração se abria a porta entre o mundo humano e o mundo sobrenatural, e q…