A Menina Que Brincava Com Fogo



Dag Svensson; jornalista free-lancer. Mia Bergman; analista. Nils E. Bjurman, tutor de Lisbetuh Salander. Três assassinatos, um elo: mortos pela mesma arma contendo as digitais de Salander. Começa aí o clímax do segundo livro da Trilogia Millenium.
Stieg Larsson mais uma vez supera expectativas e, se você gostou de "Os Homens Que Não Amavam as Mulheres", com toda certeza irá adorar "A Menina Que Brincava Com Fogo"
Depois de descobrirem juntos um assassino em série na família Vanger e "ressuscitar" Harriet Vanger; Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander começam a história sem se falar. Lisbeth, por algum motivo, cortou todas as suas relações com Blomkvist: não responde e-mails, nem cartas e nem quer vê-lo sequer pintado de ouro! Ele tenta de todas as formas (e mais algumas) e não consegue falar com ela. Até que decide respeitar a opinião ela e seguir sua vida.
A Millenium, em alta depois do lançamento do livro bombástico de Blomkvist sobre os "podres" que deixaram Wennerstrom milionário, planeja outra edição épica da revista. Dessa vez, a bomba viria de Dag Svensson, que consegue a confiança dos editores da revista após apresentar seu material de trabalho: anos e anos de pesquisas com um só assunto: denúncias fortes e concisas sobre o tráfico de mulheres provenientes do Leste Europeu.
As coisas correm bem e o livro já está quase na metade quando Dag Svensson e sua mulher e parceira de investigação, Mia Bergman, são assassinados brutalmente. Para piorar a situação o primeiro a ver os corpos e chamar a polícia é Mikael Blomkvist. Ele iria lá pegar a parte final para o fechamento da reportagem. A arma do crime é deixada para trás.
A polícia entra numa investigação pesada para descobrir o assassino e, já no segundo dia da investigação, encontram também Nils Bjurman morto em seu apartamento com um tiro na nuca. A culpa para o triplo assassinato cai sobre Lisbeth Salander, que tinha suas digitais na arma.
Com uma semana de investigação , a polícia declara Lisbeth Salander uma criminosa muito perigosa. E com o passado manchado por várias internações em psiquiatrias e brigas na escola, logo ela é chamada pelos jornais de "psicopata" e apelidos piores. Porém, seu passado nos reserva muito mais surpresas.
Mas em meio a todos, um ser vivente acredita e aposta na inocência de Salander: Mikael Blomkvist. Ela salvou sua vida dois anos antes e era chegada a hora de ele pagar sua dívida. Decide então fazer sua própria investigação e pensar em um elo para as três mortes que não seja Lisbeth. Zala.
Esse é o caminho para provar a inocência da hackerzinha magrela com a tatuagem de dragão nas costas: Zala. Quem é Zala? Paralelo com a caçada à Lisbeth, a caça a Zala é o ponto máximo da trama. Novidades surpreendentes e perigosas se mostram para quem entra no caminho desse misterioso ser.
Com ação e muito suspense do começo ao fim, Stieg Larsson deixa no 2º livro um gostinho de "quero mais"; nos surpreende a cada página e nos convida a ler: "A Rainha do Castelo de Ar" para fechar com chave de ouro essa trilogia magnífica chamada... Millenium.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ao Lado de um Grande Homem...

Contos e Músicas: Uma parceria que deu certo

Destrua Este Diário: O Início